Como eram as casas em BH nos primeiros 50 anos da cidade? Livro faz mapeamento inédito

0
274


Os detalhes arquitetônicos e os modos de morar nas residências nas primeiras cinco décadas da capital mineira é o tema de pesquisa, que resultou no livro Casa Nobre: significados dos modos de morar nas primeiras décadas de Belo Horizonte.

Com coordenação e concepção da professora Celina Borges Lemos, da Escola de Arquitetura da da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a publicação será lançada na próxima terça-feira (2 de abril), na Escola da Arquitetura da UFMG, a partir das 19h, e na Livraria Quixote, no dia 20, às 11h.

Interior de imóvel na Avenida Brasil (Pedro Sales/Divulgação)

Com o objetivo fazer um mapeamento de aspectos sociais, culturais e históricos da constituição de Belo Horizonte e sua arquitetura, o estudo enfatiza a chamada “Casa Nobre”. Trata-se de uma identificação de casa senhorial brasileira, muito presente na arquitetura da capital mineira, e revela indícios de como era a vida cotidiana nessas casas.

A publicação elabora uma narrativa sobre as características dessas arquiteturas, materiais adotados na construção dessas casas e os aspectos projetivos e estéticos de atribuem esses espaços uma idealização singular. O recorte temporal compreende o período da fundação da cidade, em 1897, até o ano de 1947.

Fachada de imóvel na Avenida João Pinheiro (Pedro Sales/Divulgação)

A pesquisa destaca arquitetos e arquiteturas que marcaram a história da nova capital de Minas Gerais e seu projeto urbanístico original; a arquitetura nobre, uma vez ocupada pelos primeiros dirigentes e membros respeitados da sociedade local, e alguns diálogos com a arquitetura moderna mineira e a intimidade dessas casas – que traduz os diversos modos de morar.

O estudo revela também os pormenores técnicos e recursos de infraestrutura doméstica incorporados nessas novas praticas do viver doméstico. Dessas configurações delineiam-se as representações, memórias, identidades que colaboram para delinear a cultura e o cotidiano da então, recém-fundada, Belo Horizonte.

Documentos, fotos e plantas originais

Para a concepção do “Casa Nobre”, foram reunidos diversos documentos, como fotos, desenhos e plantas originais, que foram selecionados e analisados pela equipe do projeto. Somado a esse extenso material, um registro fotográfico de 30 das residências pesquisadas enriquecem e sofisticam a narrativa histórica a partir de um recorte inicial de cerca de 200 residências identificadas.

Distribuição e venda

O livro Casa Nobre: significados dos modos de morar nas primeiras décadas de Belo Horizontetem inicialmente uma tiragem de mil exemplares. A publicação será distribuída gratuitamente no dia do lançamento na Escola de Arquitetura da UFMG, e uma parte será doada para bibliotecas públicas e universitárias dedicadas à temática do livro.

A publicação estará à venda na Livraria Quixote e também por meio do site da Editora Frente e Verso (https://www.frenteversobh.com.br/editora). Preço: R$ 40  

Serviço

Lançamento I do livro Casa Nobre: significados dos modos de morar nas primeiras décadas de Belo Horizonte

Quando? Terça-feira, 2 de abril, 19h 
Onde? Escola de Arquitetura daUFMG – Rua Paraíba, 697 – Savassi
Entrada gratuita

Lançamento II do livro Casa Nobre: significados dos modos de morar nas primeiras décadas de Belo Horizonte

Quando? 20/4, 11h
Onde? Livraria Quixote – Rua Fernandes Tourinho, 274 -Savassi
Entrada gratuita

Crédito das fotos: Pedro Sales – Divulgacão



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here